Onde posso ser eu mesma.

Sábado, 13 de Dezembro de 2008

Escreve-me! Ainda que seja só

Uma palavra, uma palavra apenas,

Suave como o teu nome e casta

Como um perfume casto d’açucenas!

 

Escreve-me! Há tanto, há tanto tempo

Que te não vejo, Amor! Meu coração

Morreu já, e no mundo aos pobres mortos

Ninguém nega uma frase d’oração!

 

«Amo-te!» cinco letras pequeninas,

Folhas leves e ternas de boninas,

Um poema d’amor e felicidade!

 

Não queres mandar-me esta palavra apenas?

Olha, manda então… brandas… serenas…

Cinco pétalas roxas de saudade…

 

Florbela Espanca

 

sinto-me: doentinha
tags:
publicado por averdadeiraeu às 18:27
link do post | favorito

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

mais sobre mim
pesquisar
 
Dezembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
12

14
16
17
18
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro